Apesar da pandemia, F1 mira campeonato além da Europa em 2021: “Somos um esporte global”

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Categoria pretende retornar ao calendário convencional na próxima temporada; pandemia fez com que provas na Oceania, Ásia e América fossem canceladas em 2020

A pandemia do coronavírus, que irrompeu em todo o mundo no mês de março, fez com que a Fórmula 1 reorganizasse o calendário da temporada 2020, cancelando diversas provas e incluindo novidades no campeonato, que acabou restrito, majoritariamente, ao continente europeu, cenário que a categoria não quer repetir em 2021.

Embora não haja indícios de que a pandemia se abrande em 2021, a intenção da F1 é que as provas na Ásia, Oceania e América estejam de volta no próximo ano. Além disso, a categoria também expressou o desejo de garantir o retorno definitivo dos fãs e dos eventos que compõem os fins de semana de corrida.

 

Apesar da pandemia, F1 mira campeonato além da Europa em 2021: "Somos um esporte global"
Largada do GP do Brasil de 2019, em Interlagos. Etapa ficou fora do calendário 2020 da F1 devido à pandemia — Foto: Getty Images

 

– Vamos planejar um calendário de 2021 que se parece muito com o que concebemos em janeiro. Planejamos ter eventos, ter os fãs, uma temporada que não sei se eu chamaria de normal, mas que nos leve perto disso. Queremos retornar e garantir que teremos nossas provas nas Américas, na Ásia e em todo o globo – declarou Chasey Carey, CEO da categoria e da Liberty Media.

A primeira prova a ser cancelada em 2020 foi o GP da Austrália, em março, horas antes da primeira sessão de treinos livres da etapa. A decisão foi anunciada pouco depois da desistência da McLaren após um funcionário testar positivo para o Covid-19, e de Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen deixarem o país.

Nas semanas seguintes, etapas como as da China, Barein, Mônaco, Vietnã, Azerbaijão, Espanha e Holanda foram adiadas ou canceladas. Posteriormente, foi confirmado que as provas nos Canadá, Estados Unidos, México e Brasil, bem como no Japão e na China, não seriam realizadas em 2020.

Após quatro meses, um novo calendário foi divulgado com grande parte das corridas na Europa e o campeonato teve início, em 4 de julho, na Áustria. Até agora, foram promovidas etapas na Inglaterra, Hungria, Espanha, Bélgica, Itália, Rússia e Alemanha, incluindo pistas novas ou que há anos não faziam mais parte da F1 como Mugello e Imola, na Itália, Nürburgring, na Alemanha, e Portimão, em Portugal.

 

Apesar da pandemia, F1 mira campeonato além da Europa em 2021: "Somos um esporte global"
Autódromo de Portimão receberá a F1 no fim de outubro. Etapa é novidade no calendário 2020 da categoria — Foto: Divulgação

 

Para Chase Carey, que será sucedido na gestão da F1 pelo ex-chefe da Ferrari Stefano Domenicali, as novidades no atual calendário foram bem recebidas, mas o objetivo para 2021 é de voltar a fazer jus ao status de campeonato mundial da categoria:

– Somos um esporte global e a verdade é que, esse ano, não corremos globalmente, mas majoritariamente na região europeia. Certamente, as históricas pistas europeias são uma importante parte desse esporte, mas acho que veremos eventos mais equilibrados em todo o mundo no calendário de 2021.

Das 17 etapas confirmadas para 2020 na F1, restam apenas seis para a conclusão do campeonato, que segue liderado por Lewis Hamilton e a Mercedes nos Mundiais de Pilotos e Construtores. A próxima prova, marcada para 25 de outubro, será no estreante Autódromo de Algarve, em Portimão, que sediará o GP de Portugal.

 

Texto original: Globo Esporte

 


 

Leia mais:

Avancini assume liderança do ranking mundial de mountain bike

Crianças voltam a praticar esportes e acabam com saudade em Juiz de Fora

Jhennifer Alves comemora boa fase e busca índice para Jogos de Tóquio

Deixe o seu comentário

Leia Mais

Inscreva-se na nossa Newsletter