No topo: 10 atletas negros que são os melhores do mundo em seus esportes

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

No Dia da Consciência Negra, conheça alguns dos esportistas que elevaram o nível das competições e mostraram que a cor da pele é só um detalhe.

 

 

 

Hamilton, Jordan e Serena Williams estão entre os melhores de suas modalidades

 

Dia da Consciência Negra é celebrado no Brasil em 20 de novembro e serve como um reconhecimento dos descendentes africanos e da importância desse grupo na construção da sociedade brasileira. Além disso, o dia suscita questões essenciais como o combate ao racismo, a discriminação e a busca por igualdade social. Pensando na atuação de homens e mulheres negras no esporte, reunimos dez personalidades negras que fizeram muito por suas modalidades e inspiram outros jovens atletas ao redor do mundo. Confira a lista abaixo:

1. Tiger Woods (golfe)

Eldrick Tont Woods, mais conhecido como Tiger Woods, é um dos melhores golfistas profissionais do mundo. Nascido na cidade de Cypress, na Califórnia, o jogador teve um papel importante em desenvolver o golpe, um esporte tradicionalmente elitista, entre as minorias raciais no país. Dentre seus feitos está a conquista de treze títulos importantes antes dos 30 anos de idade (Masters de Golfe, U.S. Open, The Open e PGA) e o que mais vezes conquistou a PGA Tour entre qualquer atleta em atividade. Ao todo foram 108 títulos. Além disso, em 2009, Tiger se tornou o primeiro desportista bilionário da história, arrecadando US$ 1 bilhão em patrocínios, cachês e prêmios, segundo a Forbes.

2. Michael Jordan (basquete)

Michael Jordan é a cara do basquete americano. Não só por ser o símbolo da NBA, mas por ser o atleta mais conhecido da modalidade de todos os tempos. Nascido em Nova York, Michael Jeffrey Jordan fez sucesso no Chicago Bulls entre os anos 80 e 90. Obstinado pela vitória, o ala-armador venceu seis títulos do campeonato nacional, dois ouros olímpicos com a seleção americana (1984 e 1992), uma Copa América de Basquete (1992) e um ouro nos Jogos Pan-Americano (1983). Jordan também faturou muito fora das quadras. Transformou o mercado de tênis para atletas com seu ‘Air Jordan‘, da Nike, participou de documentários e filmes como “Space Jam: O Jogo do Século” e ainda se arriscou no beisebol profissional. Aposentado, Jordan hoje é dono do Charlotte Hornets.

3. Anderson Silva (MMA)

O brasileiro Anderson Silva, chamado de ‘Spider’, é considerado um dos maiores lutadores de MMA da história. Recordista de defesas de cinturão – 10 consecutivas – Anderson é natural de São Paulo e entrou para o mundo da luta aos 18 anos. Depois de se graduar em taekwondo, muay thai e jiu-jitsu, ele estreou no circuito de lutas profissionais em 2001. Mas foi somente em 2006 que sua carreira deslanchou, com a entrada no UFC. Foram lutas memoráveis, como as contra Chael Sonnen e Victor Belfort. Recentemente, Anderson anunciou sua aposentadoria após perder a luta contra Uriah Hall no último dia 31 de outubro.

4. Lewis Hamilton (automobilismo)

Lewis Hamilton é o homem do momento no automobilismo. Em 2020, além de se posicionar fortemente contra o racismo, o britânico de 35 anos igualou Michael Schumacher como o maior vencedor da Fórmula 1, com 7 títulos conquistados. No auge de sua carreira, o piloto tem tudo para ultrapassar a marca no próximo ano e se tornar o maior da história da modalidade. Hamilton acumula recordes: tem o maior número de vitórias em Grandes Prêmios (94 triunfos), o maior número de pontos na carreira (3.713), o maior número de pole positions (97), o maior número de pódios (162), o maior número de Grand Chelem em uma temporada (três) e o maior número de pontos em uma temporada (413). Um dos grandes ídolos da nova geração, Lewis ainda tem muito para conquistar.

5. Serena Williams (tênis)

Não é possível falar de excelência no esporte sem citar Serena Williams. A tenista americana de 39 anos de idade é mãe e a maior campeã de Grand Slam, com 23 títulos no simples, sendo a segunda maior campeã da história, atrás de Margaret Smith Court por apenas um troféu. Venceu os quatro Grand Slam (Roland-Garros, Wimbledon, US Open e Australian Open) por duas temporadas seguidas, um feito e tanto. Com a irmã, Vênus Williams, Serena também levantou troféus nas duplas – 14 no total – e dois em duplas mistas. A americana também conquistou uma medalha de ouro no simples na Olimpíada de Londres 2012 e três ouros nas duplas, nos Jogos Olímpicos de 2000, 2008 e 2012. É a tenista feminina que mais arrecadou ao longo da carreira, já participou de séries de televisão e até jogou um torneio grávida da pequena Alexis.

6. Simone Biles  (ginástica)

Um dos maiores nomes da nova geração de ginastas é Simone Biles. Aos 23 anos, a norte-americana é dona de 25 medalhas em campeonatos mundiais, sendo dezenove delas de ouro. É a ginasta mais condecorada da história dos Estados Unidos em mundiais. Ela já foi campeã no solo, na trave de equilíbrio, no salto sobre a mesa, por equipes e no individual geral. Entre seus recordes está o de primeiro afro-americana a conquistar três Campeonatos Mundiais consecutivos no individual geral. Além disso, também é a única da história a conquistar cinco títulos mundiais na mesma rotina. Sua importância é tão grande que em 2016, a BBC a inseriu na lista de 100 mulheres mais inspiradoras e influentes do mundo.

7. Pelé (futebol)

É claro que o melhor jogador da história precisava estar nessa lista. Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, encantou os fãs da bola no Brasil e no mundo. O atacante só defendeu dois clubes na vida: o Santos, time pelo qual dizem que ele parou uma guerra, e o New York Cosmos, dos Estados Unidos. Pela seleção brasileira, levou seu talento a todos os cantos do planeta e foi astro das Copas de 1958, 1962 e 1970. A lista de títulos, prêmios individuais e ordens é muito extensa para uma pequena reportagem. Hoje, com problemas de saúde, o craque tem evitado sair de casa.

8. Usain Bolt (atletismo)

O homem mais rápido do mundo é negro. Usain St. Leo Bolt nasceu em Sherwood Content, na Jamaica, e ganhou o mundo. Multicampeão olímpico e mundial no atletismo, Bolt é um atleta de muitos recordes. Ele é o único da história a se tornar tricampeão em duas modalidades de pista em Jogos Olímpicos de forma consecutiva (100 metros rasos e 200 metros rasos) e bicampeão, também de forma consecutiva, no revezamento 4 x 100. É o único a conquistar oito medalhas de ouro em provas de velocidade, sendo dez vezes campeão mundial. Apelidado de Lightning Bolt (relâmpago) pela imprensa, o velocista tem muitas condecorações do governo de seu país e prêmios esportivos. Depois de conquistar o topo do atletismo, ele se aventurou como jogador de futebol na Austrália, mas a carreira durou só alguns meses.

9. Muhammad Ali (boxe)

Outro representante das lutas, Muhammad Ali ou Cassius Marcellus Clay, foi um pugilista extremamente famoso. Nascido em 1942 nos Estados Unidos, ele iniciou no boxe aos 12 anos. No profissional ele ganhou seis títulos Golden Gloves de Kentucky, dois títulos Golden Gloves nacionais e o título nacional do Amateur Athletic Union. Além disso, Ali também conquistou uma medalha de ouro do Meio-Pesado nas Olimpíadas de Verão de 1960, em Roma. Convertendo-se ao islamismo, o atleta foi um importante nome na luta contra o racismo nos anos 60, sendo aliado de Malcom X.

10. Menção honrosa: Jesse Owens; Tommie Smith; John Carlos e Mireya Luis

Há muitos grandes esportistas negros por aí. Não daria para falar de todos eles em uma única reportagem. Nesse tópico fazemos menção honrosa há algumas personalidades que não podem ser esquecidas. Jesse Owens foi o primeiro atleta na história a vencer quatro ouros numa mesma Olimpíada (100 e 200 metros rasos, salto em distância e revezamento 4 x 100). E não foi em qualquer edição. Foi nos Jogos de 1936, na Alemanha Nazista de Adolf Hitler. Tommie Smith e John Carlos são muito conhecidos por um gesto no pódio. Velocistas, a dupla norte-americana conquistou o 1º e 3º lugar nos 200 metros rasos dos Jogos Olímpicos da Cidade do México, em 1968. No momento do hino nacional, eles abaixaram a cabeça e ergueram o punho cerrado para o alto, o símbolo dos ‘Panteras Negras‘,  organização criada para combater a violência policial nos bairros negros. O protesto aconteceu meses depois do assassinato de Martin Luther King.

Já Alejandrina Mireya Luis Hernández era conhecida como o terror das jogadoras brasileiras no vôlei de quadra. Cubana, Mireya fez sucesso na seleção de seu país nos anos 80 e 90. Ela venceu a medalha de prata no Campeonato Mundial de Praga em 1986 e, três anos depois, conquistou a Copa do Mundo sendo eleita a melhor atacante, MVP e uma das seis melhores atletas do torneio. Também fez parte do time que levou o ouro nos Jogos Olímpicos de Barcelona. Além de ter conquistado mais dois Campeonatos Mundiais, três olimpíadas, duas edições do Grand Prix e outra Copa do Mundo em 1990. É considerada a melhor atleta da história da modalidade.

 

Texto original: JP

Deixe o seu comentário

Leia Mais

Inscreva-se na nossa Newsletter