Iniciante no 4×4? Confira 10 dicas para uma trilha sem riscos

Você acaba de comprar um veículo 4×4 e está louco para fazer uma trilha? Saiba que para ir além do chão de terra batida, alguns cuidados são necessários, tanto na preparação, como na condução fora de estrada. Surpresas fazem parte deste universo, por isso, é bom estar preparado. Confira abaixo 10 dicas para uma trilha sem riscos com seu 4×4! 😉

1. Preparação

Verificar itens como água, óleo, freios, embreagem e pneus é uma ação que poupa muitos imprevistos. Já pensou você no meio da trilha, sem sinal de telefonia, com um problema no veículo?

2. Vá acompanhado

Jamais entre em uma trilha sozinho ou com apenas um veículo, pois você não sabe o que irá encarar pela frente. E mesmo em grupo, avise seus familiares do percurso pretendido.

3. Esteja preparado

Atolar é muito comum, assim como ter que aguardar um reboque por algumas horas ou até mesmo um dia. Leve sempre consigo um kit montado com primeiros socorros, repelente, protetor solar, roupas extras, além de água e alimentos suficientes para dois a três dias a mais do que pretende ficar.

4. Equipamentos úteis

Vale a pena ter no carro: cabo para ligação direta, pás pequenas, bomba para calibrar os pneus, lanterna, capa de chuva, luvas, facão ou machado, cinta ou corda para reboque, prancha de desatolagem e spray reparador de pneus.

5. Quando usar a tração 4×4?

Terrenos com baixa aderência, como lama ou areia, exigem tração nas quatro rodas. Se o carro possui tração integral permanente, o sistema fará todo o trabalho sozinho. Já nos modelos em que a tração 4×4 é ligada por um botão no console, o sistema deve ser acionado apenas quando necessário, evitando o consumo extra de combustível e o desgaste dos componentes. Mas lembre-se de acionar o 4×4 antes de iniciar a travessia do obstáculo, pois pode não ter o mesmo efeito se você ligar depois que já estiver atolado. E verifique no manual do proprietário qual é a velocidade máxima para fazer a mudança para a tração 4×4, pois em muitos casos é abaixo de 100 km/h.

6. E quando ligar a reduzida?

A tração 4×4 com reduzida deve ser usada apenas para transpor obstáculos específicos que precisem de mais força/torque, como áreas alagadas, lama ou subidas íngremes ou ainda para rebocar outro veículo, por exemplo. Mas lembre-se que a reduzida tem um limite de velocidade em que pode ser usada, em geral, de 40 km/h. E para ligá-la ou desligá-la, a maior parte dos modelos exige que o carro esteja totalmente parado.

7. Transpondo áreas alagadas

Primeiro, desça do carro e verifique a profundidade da água com um pedaço de pau, o tipo de piso e se há correnteza. Esteja certo de que ela não ultrapassa a altura máxima recomendada pelo fabricante do veículo. Observe se existem pedras ou árvores que podem dificultar ou mesmo impedir a passagem. Tudo checado, use a tração reduzida e passe devagar, seguindo um ritmo constante para não formar ondas na água.

8. Cuidados com subidas e descidas íngremes

A tração reduzida também é muito útil em subidas ou descidas íngremes. Na subida, ela garante força. Já na descida, mantém a velocidade baixa e deixa o freio-motor atuando, poupando os freios. Na ausência dessa opção, utilize sempre uma marcha baixa. Se o carro começar a derrapar, corrija com movimentos suaves no volante e com leves acelerações para retomar a tração nos pneus. E sempre mantenha o carro em linha reta, jamais suba em ângulo. Caso o carro pare no meio da subida, engate a ré e desça para tentar novamente desde o princípio da ladeira. Se você não estiver confiante de que você ou o veículo conseguirão subir, não arrisque.

9. Inclinação lateral tem limite

Redobre a atenção ao passar por obstáculos que façam o veículo se inclinar lateralmente, pois ele pode tombar. Se você achar que está perto do limite do carro, procure direcionar as rodas para baixo e acelere para trazê-lo para a posição normal. Mas lembre-se que apenas a experiência te ensinará como sair de uma situação dessas, então não se arrisque. Em qualquer obstáculo, se achar necessário, peça para o seu acompanhante descer do veículo e guiá-lo.

10. Em caso de atoleiro

Primeiramente, pare de acelerar para que o veículo não afunde ainda mais. Desça do carro e procure fazer um calço para os pneus no sentido em que você quer que eles girem. Caso não tenha prancha, utilize pedras sem pontas, galhos, pedaços de troncos das árvores e até mesmo os tapetes do carro. Se nada disso funcionar, resta chamar ajuda e depender de alguém que te reboque para fora do atoleiro. Mas tenha atenção ao ponto onde amarrará a corda ou o cabo de reboque (jamais amarre no para-choque, existem pontos específicos para isso nos veículos) e nunca dê trancos na corda. O outro veículo deve se mover lentamente para não rompê-la.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *